Corinthians: Igor Coronado é apresentado, fazendo caminho inverso ao chegar do futebol da Arábia Saudita

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Fazendo "caminho inverso", meia Igor Coronado é apresentado no Corinthians

Coronado vai usar a camisa 77 no Timão
Coronado vai usar a camisa 77 no TimãoRodrigo Coca - Corinthians
O meia Igor Coronado foi apresentado no início da tarde desta terça-feira (20), como novo jogador do Corinthians, no CT Joaquim Grava. O jogador de 31 anos, natural de Londrina, fez o caminho inverso de muitos atletas brasileiros, que costumam ir para a Arábia Saudita depois de anos atuando no futebol nacional.

Esta será a primeira passagem de Igor Coronado no Brasil. Ele chega ao Corinthians depois de defender clubes da Inglaterra, Suíça, Malta, Itália e Emirados Árabes Unidos. Ele estava, desde 2021, no Al-Ittihad, da Arábia Saudita. No time saudita, ele fez 77 jogos, anotando 16 gols e dando 34 assistências. 

"Minha carreira está sendo inversa. Iniciei fora do Brasil muito novo. Meus pais saíram para trabalhar na Inglaterra e segui com eles aos 12 anos. Não foi nada fácil, tive altos e baixos. Nos últimos anos, cresci cada vez mais e chego para justificar a minha contratação. Não sou de falar muito, mas de entregar. Vou tentar dar meu máximo. Por onde passei, consegui deixar minha marca. Pretendo que aqui seja a maior delas", projeta o jogador. 

Adaptação positiva

Coronado teve ótima primeira impressão do clube, da sua estrutura e da recepção que teve dos funcionários e novos companheiros de time. 

Siga o Campeonato Paulista pelo Flashscore

"Fiquei 19 anos fora, a minha ficha ainda está caindo por estar morando no Brasil. Tenho sido muito bem recebido pelos meus companheiros, consigo ver ótimas coisas, estou começando a me sentir em casa. A estrutura é sacanagem. É um sonho para qualquer jogador. Eles nos oferecem o melhor para estar disponível a cada jogo", pontua. 

Coronado ainda trabalha separado do grupo para adquirir a melhor condição física antes de estar disponível para o técnico António Oliveira. Ele tenta acelerar o processo para estrear o quanto antes e acabar com a ansiedade de fazer sua primeira partida por um clube brasileiro. 

"Sei que no Brasil meu futebol não foi mostrado, o último ano do Saudita foi mostrado por alguns canais, isso permitiu que algumas pessoas me conhecessem e contribuiu para eu estar no Corinthians", completa.