MotoGP: Calendário com 21 corridas coloca pressão em equipes

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

MotoGP: Calendário com 21 corridas coloca pressão em equipes

A MotoGP inicia neste fim de semana a sua maior temporada da história
A MotoGP inicia neste fim de semana a sua maior temporada da históriaProfimedia
A temporada 2023 da MotoGP começa neste fim de semana, em Portugal, e terá o maior número de provas de sua história, 21 Grandes Prêmios. Ao todo, serão 10 provas fora da Europa, que inclui as estreias de Índia e Cazaquistão. Todo fim de semana também contará com uma corrida sprint no sábado, totalizando 42 corridas.

Mike Trimby, ex-piloto contratado pelos competidores em 1982 para representá-los e co-fundador em 1986 da Associação de Equipes de Motociclismo (IRTA), reconhece alguma preocupação.

"O calendário de 2023 é o primeiro que eu olhei e pensei 'Deus, eu não gosto disso'", disse ele em uma recente cerimônia de premiação do Troféu Torrens do Royal Automobile Club em homenagem a uma excelente contribuição para o motociclismo do Reino Unido.

"Parece que estamos alcançando a Fórmula 1, mas... eles terão dois conjuntos de mecânicos que se alternarão nos eventos. Não podemos arcar com isso", disse o britânico de 74 anos à Reuters.

"Conheço pessoalmente muitas pessoas experientes nas equipes que estão basicamente desistindo, estão dizendo 'Não, isso é demais. Não posso ficar longe de casa dessa vez, tenho família'. Acho que estamos forçando um pouco os limites do número de eventos que estamos realizando e deixando nossas preocupações claras para a Dorna”, acrescentou.

O aumento será sentido principalmente na Moto2 e Moto3, onde as equipes têm menos pessoas e orçamentos mais apertados.

A Fórmula 1, cuja temporada começou em 5 de março, tem um recorde de 23 corridas este ano.