Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Brasil x EUA: Dorival explica Endrick no banco e pede paciência; veja provável time

Dorival Júnior faz "ensaio geral" antes da estreia na Copa América
Dorival Júnior faz "ensaio geral" antes da estreia na Copa AméricaRafael Ribeiro/CBF
O técnico Dorival Júnior concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira (11), em Orlando, na véspera do último amistoso da Seleção Brasileira antes da estreia na Copa América, o duelo com os Estados Unidos, que acontece nesta quarta (12), às 20h (de Brasília). O comandante explicou o motivo de não escalar Endrick como titular, mesmo com o jovem atacante apresentando consistência em suas primeiras aparições com a Canarinho.

Em três jogos, Endrick marcou três gols, o último que determinou a vitória da Seleção sobre o México por 3 a 2, em amistoso no Texas. 

Confira a tabela da Copa América no Flashscore

De acordo com Dorival, é preciso ter paciência e cuidado com o jovem, de apenas 17 anos. O comandante não quer pular etapas, mas dar a oportunidade de Endrick desenvolver-se na função. 

"Temos que ter um pouco de cuidado com o Endrick. Vocês acompanham minha carreira há algum tempo. Eu sempre usei demais as categorias de base, sempre valorizei demais, e sempre tive muito cuidado. Ao mesmo tempo que possamos nos apressar em alguma situação, talvez não tenhamos uma volta e um erro pode ser fatal", justificou Dorival, em entrevista aos jornalistas. 

O treinador reforçou sua confiança na evolução gradual de Endrick, que encaminha-se para ser um dos grandes destaques do futebol brasileiro. 

"Peço só um pouco de paciência a todos. Ele vem de uma evolução muito boa. Acompanhei o quanto ele foi decisivo no campeonato anterior pelo Palmeiras, em momento algum deixamos de avaliar e por isso peço um pouco de paciência e tranquilidade com esse garoto para que as coisas aconteçam de maneira natural", salientou o técnico da Seleção.

Endrick em chegada ao estádio Kyle Field, no Texas
Endrick em chegada ao estádio Kyle Field, no TexasRafael Ribeiro/CBF

"Ele pode ser muito útil para a Seleção desde que tenhamos paciência. Não é só colocar lá e deixar que resolva a situação. Está finalizando uma formação e precisa de tempo e paciência. Lógico que sai das qualidades e capacidades. Seria fácil colocá-lo, mas não deixo de arriscar com um jogador como ele. Tanto que foi a primeira substituição", completou. 

Acompanhe Brasil x EUA com narração ao vivo no Flashscore

Diante dos Estados Unidos, a tendência é que Raphinha forme o trio de ataque ao lado de Raphinha e Vinicius Junior. A provável escalação da Seleção Brasileira é a seguinte: Bento, Danilo, Marquinhos, Beraldo e Wendell; Bruno Guimarães, João Gomes e Lucas Paquetá; Raphinha, Rodrygo e Vini Jr. 

A estreia do Brasil na Copa América será no dia 24 de junho, contra a Costa Rica, em Los Angeles.