Roland Garros: Swiatek atropela Paolini em Paris e conquista o tetra

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Swiatek atropela Paolini na final e conquista o tetra em Roland Garros

Iga Swiatek estabeleceu uma verdadeira dinastia em Roland Garros
Iga Swiatek estabeleceu uma verdadeira dinastia em Roland GarrosProfimedia
Iga Swiatek venceu Jasmine Paolini por 2 sets a 0, neste sábado (8), e conquistou o título de Roland Garros. A polonesa passou pela italiana com parciais de 6-2 e 6-1, em passeio de 1h08 na quadra Philippe-Chatrier, em Paris.

Número um do mundo, Iga Swiatek chega ao seu quinto título de Grand Slam com apenas 23 anos. Dos majors conquistados, quatro foram em Roland Garros: 2020, 2022, 2023 e 2024.

Veja a chave feminina de Roland Garros

Swiatek é a terceira jogadora, depois de Justine Henin (2005-07) e Monica Seles (1990-92), a conquistar a Copa Suzanne Lenglen por três anos consecutivos desde que o tênis se tornou profissional, em 1968. A polonesa também tem 100% de aproveitamento em finais de Grand Slam.

A número 1 do mundo completou também uma temporada de saibro em que venceu os três principais torneios do piso. Além do seu tetra em Roland Garros, Iga venceu os WTA 1000 de Madri e Roma

Jasmine Paolini, que entrou no torneio como número 15 do ranking da WTA, virou top 10 com o vice-campeonato em Roland Garros e agora é 7ª.

Iga passeia em Paris

A quarta coroação de Iga em Paris foi tão confortável quanto previsível, contra uma Paolini que foi a grande revelação do torneio, mas não teve escolha na partida.

Iga Swiatek é dominante no saibro de Paris
Iga Swiatek é dominante no saibro de ParisProfimedia

A italiana, que vive a melhor temporada da sua carreira, nunca tinha passado da segunda rodada de Roland Garros até esta edição. Paolini entrou no duelo de forma ousada e conseguiu uma quebra para sair na frente no primeiro set.

Iga igualou as 1h08mins da final de Roland Garros em 2022
Iga igualou as 1h08mins da final de Roland Garros em 2022AFP

Porém, o sonho durou pouco. Swiatek não estava disposta a sofrer e venceu 10 games seguidos, incluindo cinco quebras de saque. A polonesa venceu a primeira parcial por 6-2 e abriu vantagem de 5-0 na segunda. Paolini conseguiu então o game de honra, mas a polonesa confirmou o serviço, fechou em 6-1 e encerrou a final em apenas 1h08.