Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Proprietários da NBA vão apertar regras contra o descanso das estrelas

LeBron James, dos Los Angeles Lakers, é marcado por Stephen Cury, do Warriors
LeBron James, dos Los Angeles Lakers, é marcado por Stephen Cury, do WarriorsAFP
Os proprietários de franquias da NBA aprovaram nesta quarta-feira (13) regras mais duras e punições mais severas em relação ao descanso das estrelas da liga.

LeBron James, do Los Angeles Lakers, e Kawhi Leonard, do Los Angeles Clippers, estão entre aqueles que, nas últimas temporadas, perderam alguns jogos naquilo que é descrito como gestão de carga física (load management), uma espécie de descanso estratégico.

A Liga define como estrela qualquer jogador que tenha feito parte de uma equipe All-Star da NBA ou All-NBA nas três temporadas anteriores, ou depois de um jogo All-Star no mesmo período.

LeBron James, do Los Angeles Lakers
LeBron James, do Los Angeles LakersAFP

Restringir o descanso das estrelas durante a temporada regular e nos jogos transmitidos pela televisão nacional constitui um incentivo para os parceiros de transmissão da NBA, que se preparam para negociar novos contratos de direitos televisivos. Eles querem garantir que os jogos em que há várias estrelas na quadra não sejam prejudicados pela ausência das mesmas.

De acordo com a ESPN e o The Athletic, a votação da Política de Participação dos Jogadores permite aos dirigentes da Liga mais supervisão e poder para punir os infratores, com multas de 100 mil dólares para a primeira infração, 250 mil dólares para a segunda e cada multa adicional custa mais 1 milhão de dólares.

De acordo com as novas regras, recomendadas pelo comitê de competição da NBA, as equipes não podem retirar um jogador estrela ou fazer com que este desempenhe um papel muito reduzido de uma forma que afete a integridade do jogo.

Uma dessas preocupações se dá em relação aos times em reconstrução, que podem colocar suas estrelas no banco para poderem perder de forma proposital e melhorarem consideravelmente suas posições no draft da NBA.

A Liga vai fazer investigações independentes, incluindo exames médicos, como parte da aplicação destas políticas contra o descanso, especialmente quando as equipes não demonstrarem uma razão válida para a ausência de uma estrela.

Os times têm a responsabilidade de gerir os plantéis de modo que não haja mais do que uma estrela indisponível para cada jogo e têm de garantir que as estrelas estão disponíveis para os jogos transmitidos a nível nacional, bem como para um novo torneio durante a temporada regular, que começa em novembro.

A liga informou que há exceções por motivos pessoais, lesões e ausências pré-aprovadas com base na idade do jogador, no volume de carga física ao longo da carreira ou no histórico de lesões graves.